POLÍCIA MILITAR REGISTRA FRAUDE NA ELEIÇÃO EM PATROCÍNIO

Resultado de imagem para imagens de fraude eleitoral

 

Hoje a Imprensa Regional esteve em Patrocínio apurando as informações de fraude eleitoral que foi registrada em boletim de ocorrência no dia 01/10/2016, um dia antes das eleições, onde ficou registrado que existiam material de campanha com a foto do vereador Dr. Ari com o numero do vereador eleito Valtinho.

 

Segundo pudemos também apurar os votos do vereador eleito Valtinho do PHS, que concorreu com o numero 31.777, podem ser anulados pela Justiça Eleitoral de Patrocínio e sua diplomação pode não acontecer.

 

Valtinho foi beneficiado pela fraude na propaganda eleitoral, muitas pessoas, pensaram que estavam votando em Ari e na verdade votaram em Valtinho.

 

O candidato Dr. Ari teve sua imagem vinculada a um numero de urna pertencente ao Valtinho. Segundo relatos de testemunhas foram constatado o derrame destes santinhos irregulares próximos a vários locais de votação e até mesmo nas caixinhas de correio dos eleitores, segundo depoimento dado por uma eleitora ao Ministério Publico, a mesma encontrou um santinho na caixa de correio de sua irmã com a foto do Dr. Ari e constando o numero 31.777, porém dias após a eleição ficou sabendo que o numero do candidato para qual tinha a intenção de voto era 45.555.

 

Os reflexos desta fraude são de larga escala, considerando que o candidato infrator teve um aumento de 148% nos votos em relação as eleições passadas. Nunca se viu um candidato alcançar 2.214 votos nesta cidade. O mérito da volumosa votação certamente é fruto da fraude, visto que o candidato não tem tanta notoriedade que o promovesse ao vereador mais votado da historia de Patrocínio.

 

Procurado pela reportagem, o vereador Dr. Ari disse se sentir muito pesaroso com o acontecido. “Isso foi uma violência  contra a vontade do eleitor que foi enganado. Uma senhora me procurou muito triste dizendo que veio de Brasília pra votar em mim e encontrou esse material fraudado próximo ao local de votação e usou o numero lá impresso. Isso é muito triste. “

 

Perguntado se tomaria alguma atitude, o vereador José de Arimatéia (Dr. Ari) esclareceu que, em um primeiro momento pensou que não seria o caso, porém, com o passar dos dias, muitos eleitores lhe procuraram relatando o mesmo fato e, por isso, não poderia deixar os seus eleitores sem uma resposta adequada e, além do mais, a composição da Câmara Municipal foi alterada por essa fraude, o meu partido foi muito prejudicado pois, quando o eleitor deixou de votar em mim, antes ele deixa de votar no meu partido, na nossa ideologia. Verdadeiro atentado contra o sistema proporcional de votação e, principalmente, contra a democracia.

 

Para a advogada Jessica Ramos, que atua no processo patrocinado pelo vereador Dr. Ari, o acontecido abre uma discussão nacional, pois, segundo ela, o seu cliente possui um grande numero de eleitores idosos, com necessidades especiais e alguns com graves problemas de visão, muitos que não leem, e, mesmo a urna eletrônica mostrado ao eleitor a foto do candidato do numero digitado, os seus eleitores erram mesmo assim. A indução ao erro ficou patente neste caso e agora estamos aguardando a Justiça Eleitoral de Patrocínio. E aguardamos justiça pois, em um momento como este que vive a politica brasileira, em que o momento exige honestidade dos políticos, não podemos admitir que um vereador eleito às custas de um crime tome posse.

 

O processo promovido pelo Vereador Dr.Ari está correndo na 211ª Zona Eleitoral de Patrocínio sob o número 0000957-22.2016.6.13.0211.

About The Author

Related posts